Atendimento Instrução Normativa SRF 86

Prestamos serviços de Consultoria Especializada para atendimento das instruções normativas que determinam a obrigatoriedade das empresas manterem e disponibilizarem à Receita Federal, quando solicitado, arquivos magnéticos contendo, de forma analítica, os registros contábeis ocorridos nas movimentações do ativo imobilizado, devendo existir um razão ou histórico para cada item imobilizado. O GrupoUNIS através do seu software de gestão patrimonial gera estes arquivos de forma automática, bem como, se for o caso, mediante o reprocessamento mês a mês, dos últimos 5 anos mais o ano em curso, reconstituindo estes movimentos e gerando os relatórios nos formatos e layout exigidos pela Receita Federal, oferecemos total segurança quanto ao sigilo e preservação dos dados do cliente. Os serviços proporcionam os seguintes benefícios:

Grupo UNIS - Geração Arquivos IN 86

  • Geração de arquivos para empresas que não dispõem de programas de geração.
  • Ampla validação dos arquivos com inúmeros testes de conteúdo, consistência lógica, integridade relacional e confronto com os livros fiscais e contábeis.
  • Correções e ajustes dos arquivos.
  • Assessoria e confiabilidade para o atendimento de intimações
  • Não requerem investimentos na compra de softwares.
  • Não exigem alterações nos sistemas do cliente.
  • Não exigem treinamento ou pessoal especializado do cliente.
  • Permitem soluções modulares e econômicas de acordo com a necessidade do cliente.

 

A Instrução Normativa IN-86 refere-se aos arquivos digitais para a Receita Federal. Basicamente, destina-se à obtenção de informações para o Fisco, e dispõe quanto à forma e os prazos para a apresentação dessas informações em meios digitais, assim como estabelece as multas, prazos e as especificações técnicas definidas pela Receita Federal.



A inexistência destes arquivos no momento de uma autuação constituirá infração grave e sujeitará a empresa as penalidades pecuniárias. Quando notificado pela Secretaria da Receita Federal, o contribuinte terá um prazo de 20 dias para atender às exigências da fiscalização, nos formatos arbitrados pelo fiscal.



Além disso, o contribuinte deverá manter seus dados arquivados pelo prazo decadencial de 5 anos mais o exercício corrente.O contribuinte deve atentar-se para as penalidades a que está sujeito: multa de 5% sobre o valor da operação correspondente, aos contribuintes que omitirem ou prestarem incorretamente as operações solicitadas, limitadas a 1% da receita bruta da pessoa jurídica no período. E ainda, multa equivalente a 0,02% por dia de atraso, calculada sobre a receita bruta da pessoa jurídica no período, até o máximo de 1% dessa, aos que não cumprirem o prazo estabelecido para apresentação dos arquivos e sistemas.